Vinho do Porto Branco, eterno desconhecido

Pensando bem, são poucos os que realmente conhecem a diversidade dos Vinhos do Porto. A maioria pede um Porto e ponto, sequer sabe a diferença entre Tawny e Ruby e, em muitos casos, os próprios produtores não ajudam muito pois nem sempre deixam claro no rótulo qual o estilo.  Os Vinhos do Porto são uma paixão minha, porém nunca dediquei um conteúdo somente aos Brancos o que faço agora.

A maioria conhece os brancos doces sendo o mais famoso deles os Lacrima Christi (o mais doce) que, dizem, Jânio Quadros amava e sempre tinha em seu quarto. Doce demais da conta para meu gosto e hoje caiu em desuso pelo menos por terras brasilis, mas isso é uma questão de gosto, tem quem aprecie e, como dizem, gosto não se discute. rs

Bem, a diferença do branco para com os Tawnies e Rubys começa pelas uvas usadas que são brancas; Malvasia fina, Rabigato, Gouveio, Moscatel Galego, Côdega e Viosinho.

São classificados também diferentemente, pelo nível de doçura; Lácrima (muito doce), Doce, Seco , Extra-seco e os de Idade e os Colheita (ano da safra)

Envelhecidos em balseiros de cerca de 20.000 litros, não são muitos os produtores de vinhos envelhecidos, safrados (Colheitas) ou de idade (10, 20, 30 ou 40 anos).

Tradicionalmente os mais doces são vinhos que se tomam como aperitivo, pouco no final de refeições, e eu gosto de os tomar geladinhos sem nada e os Secos e Extra-secos  acompanhados de amêndoas torradas, tremoços, salgadinhos e azeitona recheadas, sempre bom ter uma garrafa dessas na geladeira. Há, no entanto, uma forma de se curtir um Porto Branco Seco ou Extra Seco que se tornou mais popular ultimamente que é no formato de um long drink, um Port Tonic ou Porto Tônica, opção do freguês. Para preparar, é super fácil, então lá vai, para quem estiver a fins de preparar neste final de semana:

Vinho Martha's

Quatro pedras de gelo num copo longo ou taça de vinho branco, 30 a 40% (a gosto) de Porto Branco Seco ou Extra-seco, uma rodela de limão siciliano, completa com tônica e um pouco de hortelã. Eu normalmente amasso umas duas folhinhas e completo com uma inteira só para decorar.

Muito refrescante, tudo a ver com o verão mas vai bem em qualquer momento e normalmente surpreende quem não conhece, um vai ser pouco!

Bem, mas tem outra forma de servir? Tem diversas e é uma questão de botar sua criatividade para funcionar como, por exemplo, uma bola de sorvete de limão ou outro sabor bem cítrico, regado com porto Seco, eu gosto e uso o Martha´s Dry White Port!

Saúde amigos e kanimambo pela visita.

João F. Clemente

Vinho Branco